Livramento Hoje

Livramento Hoje



Leal nega assumir comando do PSL e acha que entrada de Bolsonaro pode fortalecer sigla

Por: BN   Segunda, 08.Janeiro.2018 às 09h00


Foto: Alan Rich | Livramento Hoje

Vice-presidente do PSL na Bahia, o deputado estadual Nelson Leal negou que deva assumir a presidência da sigla no estado com a ida do deputado Marcelo Nilo para o PSB. Em novembro do ano passado, o Bahia Notícias mostrou que articulações nos bastidores davam como certa a ascendência dele ao comando da legenda (relembre). “Eu não estou me articulando para isso [assumir a presidência]. Na minha opinião, acho que quem deve assumir é Antônio Olívio (atual secretário-geral). Ele foi presidente do PSL por vários anos, tem boa relação com a executiva nacional. Eu apostaria nele”, disse, em entrevista ao Bahia Notícias. Leal, inclusive, não descartou sair da legenda e declarou que vai esperar a abertura da janela partidária para bater o martelo sobre seu destino político. “Não tenho como sair agora. Eu fui eleito pelo PSL. Ainda não pensei nisso. Acho até que, quando você toma um posicionamento sobre mudança partidária, você também precisa consultar suas bases”, explicou. Rumores dão conta de que seu novo ninho político poderia ser o PSD, sigla do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel, com quem Leal guarda relação de proximidade. Questionado sobre se a saída de Nilo enfraquece o partido, já que o partido fica apenas com dois deputados – o próprio Leal e Reinaldo Braga -, o parlamentar afirmou que qualquer avaliação é “prematura”. Inclusive, para ele, a entrada de Jair Bolsonaro pode vitaminar o PSL na Bahia. “É uma estrutura nova que se cria. A nível nacional, o partido cresce. A nível de Bahia, precisamos ver quem vai ficar no PSL, quem vem”, ponderou. Também indagado sobre o que achava do novo correligionário, Leal se esquivou. “Não tenho que julgar ninguém e nem posso aprovar ninguém”, tergiversou.

Comentários


Os comentários dos participantes responsabilizam apenas os seus autores, não podendo ao Livramento Hoje de algum modo ser atribuída responsabilidade pelo conteúdo daqueles.