Livramento Hoje

Livramento Hoje



Passados mais de 250 dias, Ricardinho Ribeiro ainda não mostrou a que veio e governo parece sem rumo

  Quinta, 28.Setembro.2017 às 11h30


Foto: Alan Rich | Livramento Hoje

Os 250 dias de gestão do prefeito Ricardo Ribeiro tem desconstruído o seu discurso de campanha em que se colocava como o novo no cenário político local e o bordão “o cara é bom”, que o qualificava como um exímio gestor. Desde a montagem do seu secretariado, quando manteve quatro secretários da gestão de Dr. Paulo, entre os quais, a senhora Maria Rosa, responsável pelas finanças do município, já dava sinais de continuidade da gestão anterior. Entre as poucas novidades que surgiram no primeiro escalão, a maioria das nomeações foi de pessoas do seu seio familiar, como o nome de sua esposa Leila Ribeiro. Leila, no entanto, veio a ser exonerada posteriormente, juntamente com outros nove casos de nepotismo apontados pelo Ministério Público. Contrariando a aposta de muitos de seus apoiadores, Ricardinho Ribeiro se mantém fiel e alinhado ao seu antecessor Dr. Paulo. Um dos casos mais emblemáticos do continuísmo foi a prorrogação do contrato com a Lig-Lixo para prestação de serviço de limpeza urbana, muito criticado pelo atual gestor nos últimos quatro anos em função ao altíssimo volume de recursos pagos mensalmente. O rigor e a linha dura que mantém com os concursados - chegando à polêmica proibição do uso das redes sociais durante o expediente -, se contrastam com as benesses concedidas a uns poucos ocupantes de cargos em comissão, cujas vantagens chegaram a ser mais de 2 vezes o valor do salário base. Tais vantagens, mesmo sendo objeto de investigação do Ministério Público, ainda permanecem. Entre outras dificuldades, Livramento segue com sérios problemas com a qualidade das estradas vicinais que foram abandonadas nos últimos quatro anos, a queixa pela falta de medicação na Farmácia Básica é recorrente, o hospital municipal tem queixas até com relação à falta de roupa de cama e está subutilizado com o serviço de saúde concentrado na UPA e o aparente abandono das políticas sociais, a exemplo das atividades com as comunidades quilombolas que se destacava em gestões anteriores. Estes são apenas alguns exemplos que coloquem em xeque a capacidade administrativa do atual gestor. Chama a atenção a inoperância do executivo municipal em relação à crise hídrica na sede do distrito de Iguatemi, cuja única iniciativa para amenizar o problema partiu do grupo de oposição que luta pela perfuração de dois novos poços artesianos através da CERB, enquanto o prefeito parece não se incomodar com o sofrimento do povo. Se administrativamente não deslancha e permanece atrelado a estrutura capitaneada pelo ex-prefeito Dr. Paulo, Ricardinho Ribeiro também patina no âmbito político. Apesar de ser dado como certo o seu apoio ao grupo de oposição no estado, capitaneado pelo prefeito de Salvador ACM Neto, Ricardinho tenta a todo custo uma aproximação com o governador Rui Costa, ficando sem credibilidade com ambos os grupos políticos. A aparente lua de mel com diversos deputados de diferentes correntes políticas do estado tem prazo para acabar e não tem se traduzido em benefícios para o município, à exceção de emendas de pequeno monte do Deputado Benito Gama, que é ligado ao vereador João de Ogum. Se em 250 dias não se pode cobrar grandes obras, já é tempo de cobrar ao menos uma mudança de atitude e uma melhora na qualidade dos serviços públicos, com os interesses do povo se sobrepondo aos privilégios de poucos.

Comentários