Livramento Hoje

Livramento Hoje



Confirmada primeira morte por zika vírus no Brasil; vítima era do Maranhão

  Sábado, 28.Novembro.2015 às 16h24


Imagem Reprodução

O primeiro caso de morte por zika vírus no Brasil foi divulgado pelo IEC (Instituto Evandro Chagas), localizado no Pará, nesta sexta-feira (27). A vítima morava no Estado do Maranhão e morreu no mês de junho deste ano. Dados do Ministério da Saúde indicam que 18 Estados brasileiros tiveram confirmação laboratorial de casos de zika vírus. A amostra do sangue da vítima teria chegado para análise em julho e, devido a dificuldade de isolar o zika vírus no material, somente agora o exame foi concluído. O IEC disse ainda que o Ministério da Saúde já foi notificado do resultado. O vírus zika é transmitido pelo mosquito da dengue (Aedes aegypti) e também tem sintomas parecidos com os da doença endêmica, embora mais suaves. Há casos em que a febre zika, como ficou conhecida, nem apresenta sintomas. Os sintomas se resumem a febre, náuseas, dores e manchas pelo corpo que desaparecem em até cinco dias. Segundo a SES (Secretaria de Estado de Saúde do Maranhão), a vítima se chamava Júlio César Silva de Jesus, tinha 35 anos e foi atendida na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Araçagi, em São Luís. A secretaria informou que o homem morreu logo após receber atendimento médico na UPA. O homem era portador de Lúpus (doença autoimune), etilismo e artrite reumatóide. A secretaria disse que o zika vírus teria agravado o estado de saúde dele. A amostra do sangue da vítima foi levada para o Pará porque o IEC é o laboratório referência para diagnósticos em febres hemorrágicas no país. Os Estados onde existem casos de zika são: Amazonas, Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Roraima, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins. Segundo dados da SES, o Maranhão registrou, extra oficialmente, 2.640 casos de zika vírus. Porém, foram confirmados com sorologia somente cinco casos. Fonte UOL

Comentários


Os comentários dos participantes responsabilizam apenas os seus autores, não podendo ao Livramento Hoje de algum modo ser atribuída responsabilidade pelo conteúdo daqueles.